A gente - cariocas e seus estilos

Projeto Conclusão em Design com ênfase em Comunicação Visual pela PUC-Rio. Publicação reúne entrevistas e fotos com cariocas que foram de alguma forma movidos pela maneira como se vestem, seus estilos e pelos objetos que adquiriram durante a vida. Traçando suas trajetórias por perspectivas diferentes através de retratos mostrando o grupo, quais estilos se identificam e mostrando esse lado mais pessoal, por meio de objetos escolhidos por cada um.
* Projeto exposto na semana de design rio 2017
2017 | conteúdo . fotografia . pesquisa . tipografia . diagramação
Nesse livro busco a identidade através de objetos. O que seria a materialização da personalidade de uma pessoa e como a identidade está diretamente ligada a roupas e objetos que escolhemos, usamos e nos envolvemos. 
Com isso, a principal pergunta que faço para os meus entrevistados e que nortea esse livro é:  “Se você fosse escolher um único objeto que te representasse, qual seria?” 
O projeto é uma investigação sobre estilo pessoal, apresentando um paralelo entre o indivíduo e seu grupo. Como a identidade de cada um é influenciada pelo grupo e o que é único em cada pessoa. Mostrar como nos identificamos com algumas roupas e acessórios, e como isso influencia na nossa identidade. Quero investigar a construção individual através do estilo, como o estilo de certas pessoas ressaltam a identidade delas e essa relação com a sua "tribo".

“Para mim ela muito importante porque eu levo várias coisas eu uso sempre. Ela carrega o meu cadeado, minha ferramentas se meu pneu furar, câmera de pneu... por isso que eu acho que a pochete é tão importante por que ela carrega tudo que é valioso para eu continuar sempre andando. Eu sinto que eu estou protegido quando uso ela, eu posso estar pedalo mas eu estou de pochete.” - Ciro, ciclistas

“Eu comprei na Tailândia no maior mercado ao céu aberto da Ásia. Vi essa moça que customizava roupas de brechó. E encontrei essa blusa e é tudo, é engraçado, é bagaceiro, é estampado. Adoro que ela brilha e chama atenção. Todos meus amigos saberiam que a peça é minha, porqueé muito a minha cara.” - Antonio, Galera do Fundão

“Eu comprei as Havaianas eu porque elas eram as mais baratas e eu estava usando direto. Mas em pouquíssimo tempo ela ficou destruída e marcada. Me sinto muito à vontade, dá vontade de correr e eu gosto de tirar elas e ficar descalço quando eu paro pra conversar um pouco de pé sujo acho saudável. E eu sou bem gringão então é cômico ficar andando de Havaianas.” - Arthur, Loucurinha

“Quando está mais frio eu sempre uso ele… todo mundo inclusive brinca que eu só tenho esse casaco. E eu comprei em brechó, então meio que só eu tenho. Quando uso me sinto eu mesma, porque sei que a galera vai olhar na rua e de alguma maneira vai chamar atenção e eu gosto disso... gosto de ver gente achando maneiro e gente achando estranho.” - Isabel, garimpeira

“Jiu-Jitsu é o quimono. Por ser um uniforme, uma roupa padrão. Ele significa só ele, não penso em outra coisa que não seja o
Jiu-Jitsu.” - Bruno, lutadores de Jiu-Jítsu

"Uso pra passeios básicos, ir ali rapidinho e não preciso carregar muito. Acho ela básica e bonita, com aquele toque de coisinha diferente. Me encanta muito esse tipo de coisa. Quando uso ela, me sinto confortável e preparada pra um rolê.” - Paula, loucurinha

veja também....